"H"Tube

Loading...

domingo, 14 de agosto de 2011

            Identidade              

Hoje resolvi escrever para mim, revelar-me como sou, e gritar para minha alma todas as verdades deste meu mundo sem pudor, quero perder-me nas palavras sem medo, e em cada letra revelar um novo segredo, Fui criança, mas não cresci mimado, onde o amor e a dor sempre estiveram ao meu lado, fiz da minha vida o meu circo, e de palhaço também fui bicho, e neste meu picadeiro de louco aprendiz, sempre uma nova telespectadora foi a atriz. Brinquei sempre com todas as emoções, sem me preocupar com as dores dos corações, de Rei virei plebeu, e foi assim que meu sonho se perdeu, a única voz que sempre escutei foi a da minha consciência, mas ela acreditava em minha pura inocência (que já estava afetada). Por isso hoje me declaro culpado, por todos os meus erros do passado, mas sei também que sempre tive uma esperança, de encontrar alguém que me reconheça criança.
Mas por enquanto me resta a caminhar, e por minha vida, minha culpa arrastar, mas vou sem deixar pegadas, pois tenho medo do que fica na estrada, nada que deixa rastro é feliz, pois o que ficou em meu coração, foi uma cicatriz. Eu sei que já me perdi há muito tempo, mas mesmo assim eu sigo este vento, que me sopra para este deserto.
E neste meu mundo de reflexão, quero tirar alguma explicação, para toda esta minha redundância, de encarar a vida sem medos da circunstância, e se mesmo assim eu nada entender... Eu não irei parar de escrever! Quero ser conduzido por estas palavras, mesmo elas me guiando por rotas apertadas, e quando eu conseguir chegar ao final só quero ter a certeza, que meu bem venceu o meu mal... 

                                                       Amilton Sanchez  

Nenhum comentário:

Postar um comentário